Defesa em Execução Fiscal - Terrazzan & Almeida
Rua Capivari, 215 - Pacaembu

Defesa em Execução Fiscal: entenda o passo a passo de forma objetiva

Defesa Execução Fiscal

Compartilhar esse conteúdo

Defesa em Execução Fiscal.
Antes de mais nada, a execução fiscal é um processo judicial que tem como objetivo cobrar dívidas tributárias de empresas ou pessoas físicas que não cumpriram com suas obrigações fiscais. Isto é, essa é uma ação legal que pode ser muito complexa, exigindo uma estratégia de defesa eficaz para proteger os direitos dos contribuintes. Neste artigo, vamos discutir como uma defesa em execução fiscal pode ajudar a proteger seus direitos e a evitar sanções legais.

O que é uma Execução Fiscal?

Primeiramente, a Execução Fiscal é um processo judicial que tem como objetivo cobrar judicialmente as dívidas de natureza tributária ou não tributária. Ou seja, ela é instaurada quando um contribuinte deixa de pagar algum tributo, imposto ou taxa, ou mesmo quando deixa de cumprir alguma obrigação prevista em lei, como por exemplo, não pagar uma multa por infração de trânsito.

Do mesmo modo, a execução fiscal é uma medida coercitiva adotada pelo Estado para garantir o recebimento dos valores devidos pelos contribuintes. Por isso, ela pode ser movida pela União, Estados, Municípios e até mesmo por autarquias e fundações públicas.

Em suma, no processo de execução fiscal, é necessário que o credor (fisco ou órgão responsável pela cobrança) apresente uma Certidão de Dívida Ativa (CDA), que é um documento que comprova a existência da dívida e permite que o processo de cobrança seja iniciado.

Ou seja, caso o contribuinte não pague a dívida ou não apresente defesa, o juiz determinará a penhora de bens do devedor para pagamento da dívida. A penhora é a apreensão de bens do devedor para garantir o pagamento da dívida. Nesse sentido, alguns exemplos de bens que podem ser penhorados são imóveis, veículos, contas bancárias e outros bens de valor.

Portanto, a Execução Fiscal é um processo judicial que visa garantir o pagamento das dívidas de natureza tributária ou não tributária e pode ser uma medida bastante severa, já que pode levar à penhora de bens do devedor. Bem como, é importante contar com um advogado especializado em Execução Fiscal para avaliar o caso, determinar a melhor estratégia de defesa e garantir os melhores resultados possíveis.

Defesa em Execução Fiscal

Que dívidas são estas?

Todas as pendências tributárias, tais como impostos, empréstimos, taxas, entre outros. Além disso, estas dívidas também podem não ser de natureza tributária, tais como multas, aluguéis, entre outros.

Por que é importante ter uma estratégia eficaz?

Uma estratégia de defesa em execução fiscal é essencial para proteger os direitos do contribuinte e evitar sanções legais. Muitas empresas ou pessoas físicas recebem notificações de execução fiscal sem entender totalmente o que está acontecendo. Eles podem não ter conhecimento da dívida tributária ou não concordar com os valores cobrados. Nesses casos, uma defesa em execução fiscal é crucial para proteger seus direitos e evitar sanções legais.

Quais as consequências?

A execução fiscal pode trazer diversas consequências para o devedor. Além da penhora de bens, que é a medida mais drástica, a execução pode gerar outras consequências negativas, como a inclusão do nome do devedor nos órgãos de proteção ao crédito, como Serasa e SPC, o que pode dificultar a obtenção de crédito e a realização de transações comerciais.

Além disso, a execução fiscal pode gerar também a impossibilidade de obter certidões negativas, o que pode impedir o devedor de participar de licitações ou de realizar transações com o poder público.

Outra consequência da execução fiscal é a possibilidade de instauração de ação penal por crimes contra a ordem tributária, como sonegação fiscal. Caso o devedor seja condenado, poderá sofrer sanções penais, como prisão, além de ter que pagar as dívidas e os tributos devidos.

Por isso, é importante que o devedor busque a regularização da sua situação fiscal antes da instauração da execução fiscal ou, caso já tenha sido instaurada, que busque um advogado especializado em defesa em execução fiscal para avaliar o caso e buscar as melhores estratégias de defesa.

Em resumo, as consequências da execução fiscal podem ser bastante graves para o devedor, incluindo a penhora de bens, a inclusão do nome nos órgãos de proteção ao crédito, a impossibilidade de obter certidões negativas e até mesmo a instauração de ação penal. Por isso, é fundamental que o devedor busque a regularização da sua situação fiscal e conte com um advogado especializado em defesa em execução fiscal para garantir os melhores resultados possíveis.

O que pode ser feito na defesa em execução fiscal?

Uma das ações que pode ser tomada na defesa em execução fiscal é a revisão dos cálculos dos valores cobrados. É comum que o fisco cometa erros de cálculo, o que pode levar a uma cobrança indevida ou a um valor maior do que o devido. Nesses casos, uma defesa eficaz pode contestar esses valores e obter uma redução da dívida.

Outra ação possível na defesa em execução fiscal é a comprovação de pagamentos já realizados. Muitas vezes, os contribuintes já pagaram os valores cobrados, mas a falta de comunicação ou o registro incorreto por parte do fisco podem levar à execução fiscal. Nesses casos, é possível apresentar documentos que comprovem o pagamento e, assim, extinguir o processo de execução fiscal.

A alegação de prescrição da dívida também pode ser uma opção de defesa em execução fiscal. A prescrição ocorre quando o prazo para cobrança da dívida já expirou. Por isso, é importante verificar se a dívida não está prescrita antes de iniciar a defesa. Se a dívida já estiver prescrita, ela não pode mais ser cobrada judicialmente.

Por fim, é possível discutir questões de legalidade ou constitucionalidade na defesa em execução fiscal. Por exemplo, se a cobrança de determinado imposto ou taxa é inconstitucional ou ilegal, é possível contestar a cobrança e obter a extinção do processo de execução fiscal.

Em resumo, existem diversas ações que podem ser tomadas. É importante contar com um advogado especializado em defesa em execução fiscal para avaliar o caso, determinar a melhor estratégia de defesa e garantir os melhores resultados possíveis.

Recebi uma execução fiscal, e agora?

Primeiramente, mantenha a calma quando receber uma citação, seja por carta, ou ainda, oficial de justiça.

Após isso, procure um advogado tributarista o quanto antes para fazer sua defesa em execução fiscal e buscar a melhor forma de diminuir o impacto patrimonial decorrente do processo, seja com a indicação de bens como garantia ou ainda, com a apresentação dos embargos à execução fiscal e qualquer outra forma de defesa que possa se encaixar nesse caso.

Nesse sentido, é fundamental que você se programe para respeitar os prazos dados a cada etapa da ação. Ou seja, para pagamento da dívida ou indicação dos bens que possam ser penhorados caso o débito não seja quitado, o prazo é de até 5 dias.

De modo geral, ao ser notificado você poderá:

  • Quitar sua dívida em até 5 dias;
  • Contestar em parte ou toda a dívida;
  • Não pagar e nem se defender (Assumindo as consequências: penhora de bens).

Conclusão

Em resumo, a defesa em execução fiscal é um processo legal importante que pode proteger os direitos dos contribuintes e evitar sanções legais. É fundamental contar com uma estratégia de defesa eficaz para lidar com processos de execução fiscal e buscar os melhores resultados possíveis. Se você recebeu uma notificação de execução fiscal ou está enfrentando problemas fiscais, é importante procurar um advogado especializado para proteger seus direitos e garantir uma defesa eficaz.

Artigos Relacionados

contratos-de-franquia
Direito Empresarial

Contratos de Franquia: Considerações importantes

Os contratos de franquia são ótimas opções de negócio e podem proporcionar uma série de benefícios, tanto para a indústria que comercializa a sua marca,

plugins premium WordPress